Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

o cppc participa e apela a participacao na manifestacao nacional da cgtp in 1 20181125 1680944742

Combater as Desigualdades - Avançar nos Direitos – Valorizar os Trabalhadores

15 de Novembro (15 Horas) - M. Pombal / Restauradores

O CPPC - Conselho Português para a Paz e a Cooperação, consciente que a defesa da Paz é indissociável da luta dos trabalhadores e dos povos por melhores condições de vida e contra as desigualdades e as injustiças sociais, expressa o seu apoio e adesão à Manifestação Nacional convocada pela CGTP-IN para dia 15 de Novembro, em Lisboa.

Os testemunhos apresentados no grande Encontro pela Paz recentemente realizado em Loures reafirmaram que a situação internacional é marcada pelo agravamento da exploração, pelo recrudescimento de concepções e práticas autoritárias e fascizantes, por um perigoso e inquietante cadastro de violações do Direito Internacional e pelo agravamento da tensão e escalada belicistas, com recurso aos conflitos armados e à guerra.

Em Portugal, apesar da luta dos trabalhadores ter determinado a aprovação de medidas de recuperação de direitos, torna-se necessário ir mais longe no combate pelo aumento dos salários, na erradicação da precariedade e da pobreza.

Num quadro em que a crise tem servido de desculpa para atacar os direitos e as conquistas dos trabalhadores, é igualmente necessário reforçar a oposição dos trabalhadores e do povo português à integração de Portugal num maior aprofundamento da militarização da UE, contra o aumento das despesas militares nesse quadro, contrapondo a exigência pelo respeito da Constituição da República Portuguesa e pelos princípios inscritos na Carta das Nações Unidas, apontando a uma outra ordem mundial de paz, de desarmamento, de respeito pela soberania, de progresso e cooperação entre os povos do mundo.

Sim, é possível construir um mundo mais justo, mais solidário, de cooperação e de Paz. Os trabalhadores, os homens e as mulheres, a juventude, têm uma palavra a dizer, porque a defesa da Paz, sendo inseparável da luta pelos direitos laborais e sociais é, também, condição essencial à vida humana, indispensável para garantir a liberdade, a soberania, a democracia e o progresso social.

Para defender a Paz, para construir um mundo melhor, avançando nos direitos e valorizando o trabalho e os trabalhadores, todos não somos demais!

(Junta-te ao pano do CPPC, na placa central da Praça Marquês de Pombal, junto à estátua)